Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

QUANTO VALE A PAZ?

Um grito para dentro vale a paz? Sua guerra vale a minha paz?
Dou um choro calado, velado, contido por um punhado de paz. Minha agonia pela paz. Um “por que me abandonaste?” pela paz.
De que vale a minha paz se há em mim a guerra, a dor e o sangue a ferver em cólera? Troco minha guerra pela sua paz?
Dê-me a paz, não promessas, nem mentiras.
Minha angústia por um quilate de paz. Meu riso para plantar a paz, de que me vale?
Alguém me dê a paz ou me venda ou troque numa poesia,             que é o que tenho e posso trocar, ou dar, ou vender.
Vamos negociar? Uma poesia por um pouco de paz. Mas... de que vale a poesia? Umas palavras tolas por um naco de paz. Num dia possível, quem me ouve, me dê a paz de dias possíveis e belos!
Troco meu nome de poeta pela paz.
(Sibéria de Menezes)